NEUROTECH

Demanda por seguros de autos cresceu 29,90% em setembro sobre 2021

A demanda por seguros de automóveis registrou alta de 29,90% em setembro deste ano quando comparada a igual mês de 2021. É o que revela o Índice Neurotech de Demanda por Seguros (INDS). O indicador mede mensalmente o comportamento e o volume das consultas na plataforma da Neurotech, empresa pioneira em soluções de inteligência artificial aplicadas a seguros e crédito, área na qual a companhia mantém um índice similar, referência no mercado.

Em setembro, todas as áreas cobertas pelo INDS apresentaram crescimento na mesma comparação dos últimos 12 meses. O ranking por estado ficou assim: Rio Grande do Sul (34,21%); São Paulo (23,71%); Minas Gerais (23,37%); Rio de Janeiro (19,8%) e Paraná (15,85%). 

“Neste momento conseguimos afirmar que há uma demanda pela busca de melhores condições de preços da frota já segurada (o que eleva o volume de cotações), já em seguros novos, este número infelizmente é menor”, lembra Daniel Gusson, head comercial de Seguros da Neurotech.

Em relação a agosto deste ano, porém, todos os Estados analisados apresentaram números negativos, com o indicador nacional registrando queda 11,89%. Gusson faz uma ressalva. “Vale lembrar que o mês de agosto de 2022 é, até o momento, a melhor performance do ano, com crescimento de quase 40% em relação ao mesmo período do ano anterior e 12% a mais quando comparado com julho deste ano”, explica.

Pela primeira vez, o INDS traz também o crescimento da demanda por idade. O maior aumento está relacionado às pessoas com 60 anos ou mais (+39,42% na comparação com setembro de 2021). Os motoristas entre 40 e 59 anos, demandaram 32,65% a mais e de 25 a 39 anos 18,89% a mais.

Sobre o INDS

Criado pela Neurotech, o Índice Neurotech de Demanda por Seguros (INDS) abrange o universo das principais seguradoras brasileiras e mensura o apetite do brasileiro a assegurar o seu automóvel. Nem todas as milhões de consultas mensais registradas se transformam em apólices contratadas, pois o processo depende de fatores como o perfil da pessoa que está fazendo a solicitação, o apetite ao risco da seguradora e se há ou não indícios de fraude.

Acompanhe o INDS