ANÁLISE DE CRÉDITO GESTÃO CRÉDITO INDC
Demanda-por-crédito-cresceu-junho-2022-neurotech

Busca por crédito cresceu 24% no primeiro semestre de 2022

A busca por crédito no Brasil cresceu 24% no primeiro semestre de 2022 quando comparada ao primeiro semestre de 2021. O movimento foi liderado pelo setor de serviços, que registrou alta de 79% no período. Já o varejo subiu 41% e bancos e financeiras, 13%.

É o que revela o Índice Neurotech de Demanda por Crédito (INDC). O indicador mede mensalmente o número de solicitações de financiamentos nos segmentos de varejo, bancos e serviços. 

Breno Costa, diretor da Neurotech, considera bom o desempenho dos três setores:

“Se por um lado temos neste ano uma conjuntura de juros altos que eleva o custo do dinheiro, no ano passado tivemos uma 2ª onda de Covid. As pessoas estão buscando crédito, mas percebemos os concessores mais restritivos na liberação de crédito”, diz.

Por que a demanda por crédito aumentou, apesar dos juros e inflação?

O semestre foi marcado pela maior procura dos brasileiros pelo financiamento das compras em supermercados, com alta de 68%. Lojas de departamento vem em seguida, com 51%; vestuário, 43%; e eletrodomésticos, 36%.

Contudo, as categorias móveis e outros registraram queda de 34% e 28%, respectivamente na demanda por crédito.

Ainda assim, na base anual, o indicador cresceu 20% em junho sobre igual mês de 2021. Em linha com o desempenho semestral, serviços puxou a expansão com alta de 92%. Foi seguido por varejo (36%) e por bancos (8%).

Em relação a maio, porém, houve queda de 13%, sendo o varejo a único a registrar crescimento (2%). Serviços ficou estável e setor bancário recuou 17% na demanda por crédito.

O aumento de crédito resultou em inadimplência e aumento do endividamento

O movimento é reflexo da inadimplência e endividamento da população, em alta, segundo Costa. “Quando a economia vai bem as pessoas tomam empréstimo mais para aquisição de bens. No cenário atual, os brasileiros estão recorrendo a empréstimos para complementar a renda mensal e pagar as dívidas e essa desaceleração é consequência”, avalia.

Acompanhe o INDC https://www.neurotech.com.br/blog/bancos-e-financeiras-puxam-alta-de-29-na-demanda-por-credito-em-maio/